Total de visualizações de página

domingo, 18 de março de 2018

Capelães Salvando Vidas Nas Ruas da Cidade




        Capelania é um ministério no qual podemos servir a Deus através da misericórdia. Um capelão que   tem dentro de si um coração misericordioso, está sempre pronto para atender um chamado para ir ao encontro dos que estão enfrentando grandes dificuldades em suas vidas. Um capelão cheio de compaixão, sabe entender a dor dos que sofrem, dos que desejam saber a razão da sua existência. Um capelão cheio de compaixão tem dentro de si os "mesmos sentimentos que houve em Cristo Jesus".

Quer seja nas ruas, nos hospitais, nos presídios, nas escolas, universidades, creches, asilos, nos quartéis militares, seja aonde for, onde Deus mandar, um capelão cheio de compaixão está sempre pronto para dizer: "Eis-me aqui, envia-me a mim".

                                      
A capelania de Rua faz a diferença


       Em todas as cidades em que existem a atuação do Ministério de Capelania de Rua, são visíveis os resultados positivos que este trabalho tem deixado. A presença do capelão tem influência no comportamento social das pessoas que povoam as ruas da cidade nas madrugadas, geralmente com a diminuição da criminalidade, pois, os capelães estão ajudando essas pessoas a encontrar bem-estar emocional e espiritual. E, por isto, passa a ser visível a tranquilidade dos que caminham pelas ruas nas madrugadas. Este trabalho tem trazido calmaria e paz para a sociedade que tem o privilégio de ter capelães atuando nas ruas de sua cidade. Com capelães atuando nas ruas durante a noite, o dia seguinte proporciona a todos os moradores da cidade, o seu alvorecer sem o temor da violência.


Ministério de Capelania de Rua

A Capelania de Rua é formada por capelães voluntários que acreditam que as pessoas que estão nas ruas precisam ser amadas e ajudadas porque, apesar de mostrarem em suas faces as consequências de uma vida fora dos propósitos pelas quais foram criadas, elas também foram feitas imagem e semelhança do Criador (Gn. 1:26 a) e Jesus pagou um alto preço por elas, também. Muitas dessas pessoas estão recebendo o desprezo da sociedade na qual deveriam estar inseridas. E, elas precisam que alguém volte sua atenção para ajudá-las a sair da zona de marginalidade ao retorno do convívio social. As pessoas que vivem nas ruas estão completamente fragilizadas e inseguras; e elas se encontram em grandes necessidades.

Por que estão nas ruas? Do que Precisam?

        Muitas dessas pessoas são vítimas do infortúnio, do descaso daqueles que governam nosso País, da negligência da sociedade. São vítimas da pobreza, das drogas, abandono de um dos cônjuges ou outro motivo de ordem pessoal que lhes causou aflição e desespero; enfim, muitas são as razões que levam as pessoas a estarem nas ruas. A soma desses fatores resulta em desequilíbrios.
Desiquilíbrios de ordem física: doenças diversas.
Desiquilíbrio de ordem espiritual: sem fé e sem esperança.
Desiquilíbrio de ordem psicológica: não conseguem controlar suas emoções.
      E os capelães vão às ruas ao encontro dessas pessoas que se desiludiram com a vida levando-lhes amor fraterno e em especial, o amor de Deus, acalmando suas inquietações, oferecendo seus ouvidos para os desabafos dessas pessoas, dando-lhes atenção e oferecendo a única esperança que pode dar-lhes sentido para vencer suas lutas: Jesus Cristo. Pois, sem Jesus não há esperança.

Como agir nas ruas.

         O capelão precisa estar preparado para ir a qualquer lugar e enfrentar as mais diversas situações nas ruas da cidade. Os moradores de rua são pessoas desconfiadas, inseguras, descrente de tudo e de todos, principalmente com religiosos e políticos. Essas pessoas sabem que, na maioria das vezes, ao buscarem ajuda dos “sacerdotes” elas foram despedidas, vazias. Ao buscarem ajuda dos políticos, na maioria das vezes nem foram recebidas.
        O capelão precisa conquistar a confiança dessas pessoas, ajudando-as a entenderem que apesar da situação e das circunstâncias e de todo o contexto que arruinaram suas vidas, ainda há esperança. Quando essas pessoas descobrem que o capelão é alguém digno, confiável, sem preconceitos, e que realmente se importa com elas, todas as barreiras são quebradas e ele tem um campo aberto de oportunidades para encaminhar essas vidas a Jesus.
Além de prestar socorro a essas pessoas o capelão pode ajudar também indicando profissionais ou órgãos especializados em diversas áreas que as possam ajudar. Ainda é importante ressaltar que a capelania de rua não somente ajuda moradores de rua (sem teto), como também atende aos andarilhos que estão constantemente nas ruas, que são: os boêmios, homossexuais, prostitutas, enfim pessoas que não são moradores de rua, mas, estão constantemente nas ruas, indo ou voltando de festas  noturnas, em clubes, boates etc. E, todas essas pessoas que estão nas ruas, quer seja de dia ou de noite, precisam ser alcançadas. 


(Extraído do Manual de Capelania UNIPASC)

Uma Brasileira se Destaca Em Massachusetts


By Sussen Gazal

À frente de uma das maiores organizações internacionais evangélicas, a jornalista Marleide Lima, que também é missionária, escritora e cantora sacra, enfrenta preconceitos e promete fazer um trabalho que estará marcando a Comunidade Evangélica em todo o mundo.

Visitar hospitais, prisões, asilos, creches, universidades e até falar em funerais. Você conhece alguém que gosta desse tipo de compromisso? A jornalista capixaba Marleide Lima é um exemplo. Marleide fez um curso especial voltado para servir em grandes necessidades, como essas visitas que muitas vezes deixamos para uma outra hora. O curso de capelania Internacional que aconteceu em Framingham (MA) foi oferecido pela UNIPAS – União Internacional de Pastores, que tem em sua presidência o Rev. Gustavo Adiers - em parceria com a United Chaplain International, organização da qual o Rev. Adiers é também Diretor Executivo.
O Curso de Capelania é voltado para quem não se importa em servir ao próximo sem distinção de raça, religião ou posição social. “Minha presença pode ser requisitada numa universidade de renome ou numa escola de gueto, num subúrbio da América”, compara.
Mal deu início ao trabalho nesse novo Ministério, Marleide foi chamada para coordenar o curso de capelania para todo o Estado de Massachusetts, em três idiomas: português, inglês e espanhol. Logo de entrada, encarou mudanças. O curso que antes acontecia apenas uma vez por mês e era aplicado nas reuniões da Ordem dos Pastores de New England, agora pode acontecer em qualquer dia do mês. Os interessados fazem uma inscrição e levam para casa uma apostila. Quando se sentem preparados, passam por uma prova. O exame vem selado, e pode ser feito em casa, mas sem consulta. “Eles fazem a prova na presença de três fiscais: Pai, Filho e Espírito Santo”, brinca, com seriedade, a coordenadora de Capelania Internacional.
Interessamos em saber como a jornalista se sente representando uma organização tão importante como a Capelania Internacional em Massachusetts e como faz para liderar homens e mulheres de renome no seio evangélico?
“Importante mesmo, é Jesus, - afirma, Marleide e acrescenta - o nosso Deus, sábio como é, escolhe quem Ele quer. E quando escolhe, capacita”.
Marleide Lima revelou que há, aproximadamente, três anos recebeu o desafio de pregar o Evangelho através da imprensa. Dessa trajetória missionária ela escreveu o livro “Quando o Coração Sangra”. Logo estará sendo distribuído, promete a escritora. Ela declarou que chegar até aqui não foi fácil. “Durante o meu trajeto missionário, recebi muitos tapinhas nas costas e elogios pelo trabalho que desenvolvia através da imprensa, porém, muitos não acreditaram que eu fosse chegar a lugar algum. Eu fazia e faço missões na imprensa a nível voluntário isto é, não existe nenhuma missão ou organização como ponto de apoio. E, no início, ao pedir apoio para desenvolver a obra, os homens me ignoraram. Mas não me intimidei e nem parei porque eu tinha convicção desta chamada missionária. Mas, confesso que muitas vezes fraquejei e questionei com Deus, dizendo-lhe que eu não ia agüentar a caminhada. E quando não tinha lágrimas para derramar eu gemia diante do trono. Um dia o Senhor me disse através de seu Santo Espírito: repreende o teu pranto, enxugue as tuas lágrimas, pois o teu trabalho já foi aprovado. Assim, o mesmo Senhor que me provou e aprovou, é o mesmo que tem sustentado a boa obra. Durante o meu trajeto e até hoje, Deus tem levantado pessoas que têm abençoado a minha vida. E apesar do preconceito e da falta de apoio de muitos líderes, O Senhor está sempre a dizer “Não temas, porque eu sou contigo” afirmou a Coordenadora de Capelania em Massachusetts.
Ao perguntar como se vê à frente da organização, ela responde: Coordenar uma obra como a Capelania Internacional em três idiomas é um verdadeiro presente de Deus. O máximo que desejei foi ser capelã e desenvolver este ministério com muito amor; Porém, o Senhor me escolheu para liderar e espero corresponder as expectativas de Deus e fazer a obra como "obreiro aprovado". Esse ministério foi profetizado há mais de dois anos por um profeta de Deus, Pr. Ezequias, residente no Brasil. Eu não o conhecia, mas o Obreiro Roberto Sanches, de São Paulo, me falou desse irmão e pediu que eu escrevesse um testemunho sobre a vida dele porque esse pastor tinha sido milagrosamente curado de câncer. Ao ligar para ele falando do meu interesse em publicar sua história, ele me disse: irmã, antes de começarmos a falar, vou revelar a você o que Deus está me mostrando; Deus está dizendo que vai colocar na mão da irmã uma obra tão grande que a irmã não vai acreditar, e os homens vão ficar pasmos. E Deus está me mostrando, também, um movimento muito grande de pastores, correndo em direção da irmã. Eu pensei: Esse movimento de pastores deve ser correndo em minha direção para apoiar o meu projeto missionário! Bem, a história não para por aí, diz a Coordenadora e ela recomenda: Leia o meu livro Quando o Coração Sangra que você vai saber a trajetória da minha história missionária na imprensa até chegar ao Ministério de Capelania”.
A senhora é a primeira mulher a ocupar um cargo de liderança no Ministério de Capelania, vivendo num mundo machista, como estão vendo a sua liderança?
“Bem, Jesus veio quebrar paradigmas, e Deus continua fazendo o mesmo. Os pastores, missionários, os verdadeiros homens de Deus sabem que o Senhor não faz acepção de pessoas. É claro que em muitas igrejas, se chegasse um Líder de Capelania Internacional em Massachusetts, ele logo seria anunciado com destaque. Porém uma mulher, ainda há muita resistência; em alguns eventos os pastores me apresentam como jornalista ou missionária, mas nunca como líder de Capelania; mas eles vão se acostumar, porque Deus está levando muitas mulheres para servi-lo em todas as áreas onde só os homens tinham acesso. É o grande exército de Deus desta última hora. Não me importo quando sou ignorada e na realidade pouco me importo com honrarias terrenas. Mas, o importante mesmo, é que o Senhor está sempre de olho em mim.”, ela ri e acrescenta: “Ele me conhece e isto é o que importa”.
Para divulgar o trabalho, Marleide visita igrejas evangélicas. O maior interesse em fazer capelania ainda é por parte de pastores e evangelistas, mas várias mulheres membros ativas da igreja em que congregam, missionárias e pastoras já estão com as apostilas em casa se preparando para a prova. No meio de quase 90 inscritos, 25% são mulheres, mas ainda bem que a vocação tem falado mais alto do que o preconceito. Marleide ensina que para o interessado saber se realmente o curso de capelania tem a ver com ele, é preciso estar atento a algumas características pessoais, como uma vida consagrada e o conhecimento bíblico. Na apostila é possível saber que o primeiro capelão extra-oficial na história do Cristianismo foi José, filho de Jacó. “Ele foi um destaque na prisão onde se encontrava”, explica Marleide.
Na apostila também é possível aprender as diferentes abordagens que um capelão precisa saber para começar uma visita. O primeiro passo é sempre chegar calmo. “Uma pessoa agitada nunca poderia ser um capelão”. Outro cuidado é para nunca combater nenhuma religião. A função do capelão é confortar e falar do amor de Jesus. Outro detalhe importante na missão de um capelão é lembrar de nunca prometer nada que não possa cumprir, como por exemplo, dizer que vai visitar os familiares de algum preso e depois esquecer.
Para funerais é importante saber consolar. Falar em um momento de meditação com palavras apropriadas. A apostila levanta algumas sugestões, como a Primeira Carta de Coríntios, capítulo 15. Ou o Salmo 116, que fala quando a morte é preciosa. “A capelania abre muitas portas, mas, é preciso saber chegar com humildade”, aconselha Marleide. Nos Estados Unidos, principalmente, os americanos dão muito valor ao trabalho voluntário. Quando se apresentam oficialmente, os capelães mostram uma credencial importante. A carteira de couro preto tem o emblema de capelão ,um brasão impresso na mesma empresa que fabrica o distintivo dos agentes federais americanos”.
A próxima formatura vai acontecer no dia 16 de março de 2002, com um culto de Ações de Graças que será realizado na sede da Assembléia de Deus, na cidade de Boston. Marleide declarou também que estará formando uma comitiva para entregar os convites a autoridades brasileiras e americanas de Massachusetts. “Esta é a forma de dizermos que somos um povo que está nos EUA fazendo a diferença e ajudando a construir um mundo melhor. Deve-se lembrar também que o Ministério de Capelania Internacional é interdenominacional. O culto de formatura pode ser em qualquer Igreja de ordem Evangélica. Depois de formados, os novos capelães podem exercer seu trabalho em qualquer parte do mundo. Muitos seguem viagem para países distantes, na Europa ou na África e, também no Brasil”, finalizou a Coordenadora da United Chaplain International em Massachusetts, Marleide Lima.

Obs: Matéria redigida pela jornalista Gazal, publicada com algumas alterações no Jornal dos Estados (Boston,MA) e Braziliam Times de Massachusetts e na Revista Linha Aberta (Estado da Florida).
Extraído do http://blogvozdoevangelho.blogspot.com


domingo, 11 de março de 2018

Foi Tudo Pago


          

      Certa vez, andando pelo centro comercial de uma cidade, entrei numa loja de confecções e me interessei por algumas peças e as separei para leva-las. Ao passar no caixa para fazer o pagamento da minha compra, pude ver num mural uma exposição de cheques sem fundos, de várias agências bancárias, os quais a empresa havia recebido de alguns seus clientes. A intenção do comerciante era, certamente, envergonhar os inadimplentes.
         Ao meu lado, também fazendo pagamento de suas compras, estava uma jovem senhora. Ela era a gerente de uma das agências bancárias do Banco do Brasil, naquela cidade. Todos na fila do caixa a ouviram dizer, apontando para um dos cheques: esse aí, é um dos nossos melhores clientes. Chamou o gerente da loja e disse: Por favor, tire esse cheque daí e leve-o ao banco que eu pago. Pode calcular o valor da dívida e levar com o cheque.
       Este real incidente, nos lembra que um dia, nossos primeiros pais, seduzidos e impulsionado pelo diabo, assumiram uma grande dívida, consequência da desobediência de não dar ouvidos a voz de Deus. E, a essa dívida, deu-se o nome de pecado; e todos nós a herdamos deles.  E nossos pecados, assim como aqueles cheques devolvidos por falta de depósitos bancários por seus emitentes, foram expostos diante de Deus. E, nós passávamos pela vergonha dessa dívida. E, jamais poderíamos pagá-la porque o preço era muito alto. Na realidade, um valor incalculável. Satanás, inimigo das nossas almas, a antiga serpente que levou nossos pais ao pecado e assim contrair aquele débito, nos acusava, dia e noite, diante de Deus, porque não havia dinheiro, valor algum nesta terra, calculado em prata, ouro, pedras preciosas que pudesse pagar a dívida. Mas, existia um elemento de grande valor que poderia pagar a nossa conta: sangue puro, sangue santo, sangue imaculado; sangue carmesim. Esse era o preço cobrado e, por esse preço a dívida poderia ser sanada. Porém, quem seria capaz de produzir tal valoroso elemento, haja vista que, não havia justos na terra, sequer um, com tal qualidade de tão precioso sangue? Pois, toda a raça humana estava contaminada.
      Mas, o Santo Filho de Deus tinha esse sangue de incalculável valor. E, Deus com a sua infinita misericórdia e compaixão nos amou de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito, Jesus Cristo, (João 3:16) o qual tinha a quantia exigida para liquidar a nossa dívida e nos resgatar. Jesus foi dado em sacrifício e derramou todo o seu sangue para nos redimir da nossa dívida.
      E, para que possamos ter a certeza de que estamos livres, o Senhor diz que todos quantos recebem seu Filho tem a dívida liquidada. “Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;” (João 1:12).

      E quando satanás vem requerer algum pagamento dos filhos de Deus, daqueles que foram remidos, daqueles que receberam com gratidão o sacrifício do Salvador Jesus, o Senhor, diz: Foi tudo pago.  “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito. (Romanos 8:1).
       
   

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Mensagem aos Defensores de Imagens. “E por que me chamais, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo?” (Lucas 6:46).




       “Mas nos profetas de Jerusalém vejo uma coisa horrenda: cometem adultérios, e andam com falsidade, e fortalecem as mãos dos malfeitores, para que não se convertam da sua maldade; eles têm-se tornado para mim como Sodoma, e os seus moradores como Gomorra”.( Jeremias 23:14)

          Existem igrejas que se apresentam como igrejas cristãs onde seus líderes têm em seu poder o manejar da Escritura Sagrada, infalível Palavra de Deus, porém, esses mesmos líderes têm levado aos seus fiéis ensinos de doutrinas que os fazem desviar do verdadeiro propósito da fé cristã na qual o nome de Jesus está acima de todos os nomes e, somente ao Senhor, toda honra e toda glória.
         E, dentre esses ensinos existe um ato de iniquidade que fere o coração de Deus e provoca a sua ira. O mesmo que acontecia com o povo de Israel tem acontecido em nossos dias, e através do Profeta Jeremias, Deus dizia a Israel: “Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o fogo, e as mulheres preparam a massa, para fazerem bolos à rainha dos céus, e oferecem libações a outros deuses, para me provocarem à ira”. (Jeremias 7:18).  A idolatria dos povos da geração de Israel o incentiva a imitá-los e o povo de Israel passou a adorar ídolos, e fazer imagens; e esses ídolos têm tentado tomar o lugar da adoração que é devida somente ao nosso Deus Criador. A idolatria tem sido uma doutrina ensinada por líderes cristãos e não cristãos em toda a terra. "E eu vos enviei todos os meus servos, os profetas, madrugando e enviando a dizer: Ora, não façais esta coisa abominável que odeio". (Jeremias 44:4). Deus odeia a idolatria. Mas, nenhum desses líderes tem entendimento para, segundo a Bíblia, questionar: Porventura não há uma mentira na minha mão direita? “Apascenta-se de cinza; o seu coração enganado o desviou, de maneira que já não pode livrar a sua alma, nem dizer: Porventura não há uma mentira na minha mão direita? (Isaías 44:20).
      Ainda, o profeta Jeremias no capitulo 10, versículo 14, do seu livro diz: “Todo o homem é embrutecido no seu conhecimento; envergonha-se todo o fundidor da sua imagem de escultura; porque sua imagem fundida é mentira, e nelas não há espírito”. 
         Não importa que tipo de imagem você esteja venerando; não importa se a sua imagem representa um ser terrestre ou celeste, uma criatura vivente, um astro, uma planta, uma árvore, um réptil etc. Não importa que tipo de objeto você escolheu e o fez seu ídolo. Saiba que qualquer ato de glória que venha a prestar às suas imagens, seus ídolos, isto é pecado, é um ato abominável aos olhos de Deus. A Bíblia diz que a ira de Deus se levanta quando o homem, obra de suas mãos, deixa de adorá-lo e dobra seus joelhos perante as imagens de escultura, porque Deus nos fez para o louvor da sua glória.  “A todos os que são chamados pelo meu nome, e os que criei para a minha glória: eu os formei, e também eu os fiz” (Isaías 43:7).
          O Salmista diz em uma de suas canções: “Do Senhor é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam.” ( Salmos 24:1). Portanto, crendo ou não, aceitando ou não, você pertence ao Senhor. Você pode fazer o que quiser com a sua vida, pode levar a sua alma a se curvar diante de Deus ou do diabo, através das imagens as quais você se ajoelha e põe nelas a sua fé. Sim, isto mesmo! Quando você se curva diante de uma imagem pensando que ela lhe leva a Deus, aquele ídolo lhe leva à adoração ao diabo. Deus não recebe honra, louvor e adoração por meio de uma imagem, de um ídolo. O que estou dizendo é um absurdo? Mas, não sou eu quem o digo. É a Palavra de Deus através de Paulo. O apóstolo Paulo diz em sua primeira carta aos crentes da Igreja de Corinto: “Mas que digo? Que o ídolo é alguma coisa? Ou que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa? Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus”. Confira em 1 Coríntios 10:19,20. Por isto que sua fé idólatra, fere o coração de Deus porque Ele diz: “Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor às imagens de escultura”. (Isaías 42:8).
        Jesus disse:” Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento”. (Marcos 12:30). Quem ama a Deus como Ele deseja ser amado, sabendo que ele odeia a idolatria, jamais vai querer uma imagem como objeto de culto. Mas, de geração em geração, desde que os homens se multiplicaram na terra, seus caminhos os levaram a se rebelar contra Deus e fazem tudo o que aos seus olhos parecem direito. O pecado de modo geral tem levado os homens a se desviarem de Deus. Os homens têm praticado toda sorte de pecados que os afastam do nosso Criador e entre esses pecados se destaca a idolatria. E, assim, multidões e mais multidões, em todas as nações da terra, se reúnem para adorar suas imagens de esculturas e as honram e se curva diante delas como se elas fossem Deus. Contudo diz a Bíblia que esses ídolos são deuses vãos, de nenhum préstimo, pois, eles não podem salvar, “Quem forma um deus, e funde uma imagem de escultura, que é de nenhum préstimo? Eis que todos os seus companheiros ficarão confundidos, pois os mesmos artífices não passam de homens; ajuntem-se todos, e levantem-se; assombrar-se-ão, e serão juntamente confundidos”. (Isaias 44:10,11) E, na verdade a Bíblia é muito clara em relação ao destino do homem após a morte e quais são as opções que nós temos: 1 - passar a eternidade com Deus ou 2 - passar a eternidade sem Deus. Confira em  Mateus 25:46. E, são esses deuses vãos, entre tantos outros atos pecaminosos, que irão levar muitos cristãos e não cristãos, a passar toda a sua eternidade longe do verdadeiro Deus. Paulo, o apóstolo de Jesus Cristo que disse aos que cultuam ídolos, que eles estão cultuando e adorando o diabo, adverte: “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus”. (1 Coríntios 6:10).  E o Livro de Apocalipse do Apóstolo João, “Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer”, diz: Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte (Apocalipse 21:8). E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro. (Apocalipse 21:27) E, nesse lugar seu tormento é por toda a eternidade. “E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome”. (Apocalipse 14:11).
          Desde que satanás contaminou o homem com suas mentiras e enganos, o homem  tem se afastado do propósito pelo qual foi criado: para o louvor da glória de Deus. Quando Moisés estava conduzindo Israel à terra que Deus havia prometido aos descendentes de Abraão, Moisés disse: “Guardai, pois, com diligência as vossas almas, pois nenhuma figura vistes no dia em que o Senhor, em Horebe, falou convosco do meio do fogo; para que não vos corrompais, e vos façais alguma imagem esculpida na forma de qualquer figura, semelhança de homem ou mulher; figura de algum animal que haja na terra; figura de alguma ave alada que voa pelos céus; figura de algum animal que se arrasta sobre a terra; figura de algum peixe que esteja nas águas debaixo da terra; que não levantes os teus olhos aos céus e vejas o sol, e a lua, e as estrelas, todo o exército dos céus; e sejas impelido a que te inclines perante eles, e sirvas àqueles que o Senhor teu Deus repartiu a todos os povos debaixo de todos os céus”. (Deuteronômio 4:15-19). Portanto, não compare uma imagem, um ídolo feito por mãos humanas, com alguém que possa conectar você com Deus, porque foi Deus mesmo quem disse: Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra; (Deuteronômio 5:8).
           Alguns líderes religiosos até cita trechos da Bíblia, fala em Deus e o chama de Pai; eles dizem que creem que Jesus Cristo é o Filho de Deus, porém, praticam a idolatria. Eles têm suas crenças em ídolos, imagens feitas de barro, madeira, metal etc. E se ajoelham diante desses objetos e fazem suas orações e petições. Eles ensinam aos seus congregados que aquelas imagens representam os santos, e que estes, os representam diante de Deus. Mas, segundo a Bíblia, isto é uma grande mentira. Essa forma de cultuar é uma forma de levar o povo a dividir a glória devida somente a Deus com os ídolos e como já falamos, segundo a Bíblia, Deus é categórico em dizer que Ele não aceita dividir a sua glória com outrem e nem o seu louvor às imagens. E para complicar a vida de quem não lê a Bíblia ou se a lê, não pede sabedoria e discernimento a Deus para entender a sua Palavra e acredita nas mentiras de seus líderes, os quais Jesus os chama de “guias cegos” porque, se enxergam a verdade a esconde de si mesmos e de seus rebanhos; eles não entram pela porta estreita que é Jesus. Preferem a porta larga do engano, que afastam os cristãos do verdadeiro caminho e inventaram, e ensinam há centena de anos, que Maria é medianeira entre Deus e os homens. De onde inventaram tal crença? Que base acharam para ensinar tal doutrina?  Da bíblia? Com certeza não foi da Bíblia, infalível Palavra de Deus. Porque de Gênesis ao Apocalipse, Deus condena a idolatria; Deus abomina a adoração de imagens. Ensino dos Apóstolos da Igreja Primitiva? De maneira alguma! Os apóstolos de Jesus Cristo, todos eles amavam profundamente os ensinos do Senhor Jesus que dizia: Crede em Deus, crede também em mim; Eu e o Pai somos um; Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda a criatura, ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho mandado. E o que Jesus ensinou? Que Ele e o Pai é Deus. E o que Deus disse? “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra”.
            Por isto a voz do Senhor clama aos que O querem seguir: Ah, povo meu! Os que te guiam te enganam, e destroem os caminhos das tuas veredas.(Isaias 3:12b).
         Quando Deus separou o povo de Israel e fez com ele uma aliança, Deus queria que Israel fosse o seu referencial. E o Senhor, disse: “E habitarei no meio dos filhos de Israel, e lhes serei o seu Deus e saberão que eu sou o Senhor seu Deus, que os tenho tirado da terra do Egito, para habitar no meio deles”. E o Senhor disse, também: “E vós me sereis um reino sacerdotal e o povo santo”. Israel deveria mostrar as nações que não existia Deus fora dele. Que o seu poder, a sua grandeza, a sua soberania era incomparável. Através do profeta Isaías, Deus questiona: A quem me assemelhareis, e com quem me igualareis, e me comparareis, para que sejamos semelhantes? (Isaias 46:5)  
          Mas, a nação de Israel não deu a devida importância àquela aliança que o Senhor havia feito com ela. As pessoas de Israel começaram a se envolver com os costumes idólatras dos povos que os cercavam e Deus ficou irado com Israel porque eles haviam quebrado a sua aliança. Sem a presença de Deus habitando no meio deles, veio a ruína. A nação de Israel foi invadida e dominada pelos seus inimigos. Acabou a glória de Israel que lamentava:Por isso o juízo está longe de nós, e a justiça não nos alcança; esperamos pela luz, e eis que só há trevas; pelo resplendor, mas andamos em escuridão”. (Isaias 59:9).
           Porém, havia uma promessa não somente para Israel, mas, para nós, para todos os povos da terra. A luz iria raiar e um novo amanhecer levaria esperança aos que andavam na escuridão."O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz". (Isaias 9:2). 
            E, quem seria o condutor dessa luz?  A história começa quando Deus envia o anjo Gabriel a encontrar com a jovem Maria que morava em Nazaré, cidade da Galiléia. “E, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. (Lucas 1:26,27).
          Maria teve a honra de ser a escolhida para gerar o Filho de Deus. Em seu cântico de louvor e gratidão por ser a escolhida para tão grandiosa missão, ela disse que seria lembrada por todas as gerações que a chamariam de bem-aventurada. Maria teve importante papel em sua geração. Ela continua sendo lembrada e honrada por todas as gerações como a mulher mais bem-aventurada de todos os tempos. Mas, ser bem-aventurada, não significa ser adorada. Maria não pode receber adoração. Não podemos nos ajoelhar diante dela pela fé, porque ela apesar de ser bem-aventurada não é digna de ser adorada, porque somente Deus é digno e deve ser adorado; somente Jesus Cristo seu Filho, que é um com o Pai, é digno, pode e deve ser adorado. E, com certeza, se Maria pudesse se comunicar com os religiosos da terra, com os artífices, os fabricantes de imagens, ela jamais permitiria que fizessem dela uma imagem de escultura e muito menos que a considerassem digna de ser adorada. Pois, seus lábios só entoavam cânticos de louvor ao Senhor. A sua boca abriu em adoração ao que é digno de ser adorado, dizendo: "A minha alma engrandece ao Senhor e o meu espírito se alegra em Deus meu Salvador. A sua misericórdia é de geração em geração sobre os que o temem". 
        Mas, Maria não pode se comunicar com os homens na terra, porque ela, como os apóstolos de Jesus Cristo que o acompanharam em sua jornada aqui na terra, como todos os santos de Deus que já partiram para a eternidade,ela está aguardando o soar da trombeta para a sua ressurreição. O único túmulo que ficou vazio, foi o túmulo do Senhor Jesus. Somente Jesus teve poder sobre a morte; somente ele ressurgiu dentre os mortos; os demais aguardam a sua vinda para sair dos seus túmulos.
        A missão de Maria como mãe do Filho de Deus, se encerrou aos pés da cruz. A missão de Maria termina quando Jesus, o Salvador nosso e de Maria, lhe diz, olhando para o seu discípulo amado, João: “Mulher, eis aí o teu filho”. Provavelmente, Maria, ao ver o sofrimento de Jesus, estivesse gritando, silenciosamente em seu coração: Meu filho! Meu filho, o que fizeram com você? Grande é a minha dor, meu filho querido! 
           Assim, como Ele olhou para as mulheres que choravam contemplando o seu sofrimento, acompanhando a sua agonia e disse: Filhas de Jerusalém, não choreis por mim; chorai antes por vós mesmas, e por vossos filhos. (Lucas 23:28). Sim, o Deus homem havia cumprido a sua missão e ao ser levantado da terra naquela horrenda cruz, recebendo todo o castigo da humanidade, derramando todo o seu sangue para perdoar os nossos pecados, a morte seria vencida. No terceiro dia ele ressurgiria, não mais como o filho de José, o carpinteiro e nem de Maria, a bendita entre as mulheres, aquela que lhe acolheu em seus braços e o amamentou. Mas, como o majestoso e glorioso Filho de Deus, Rei dos reis e Senhor dos senhores. Por isto, Jesus disse a Maria, “mulher, eis aí o teu filho; e olhando para João, disse: filho, eis aí, a tua mãe”. Enquanto precisou de seus cuidados maternos, Maria cumpriu o seu papel de mãe; contudo, quando iniciou seu ministério ela mesma reconheceu a grandeza do seu poder e disse: fazei tudo o que Ele vos disser. A obediência era a Ele. Todo louvor e toda a  adoração era para Ele. “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém. (Romanos 11:36).
             A Bíblia não menciona em nenhum texto de seus livros que Maria é a mãe de Deus, porque Deus não tem mãe. Também, de Mateus ao Apocalipse nenhuma menção honrosa foi concedida a Maria como intercessora dos pecadores; a nenhum ser humano foi dado essa responsabilidade de comparecer diante de Deus pedindo-lhe graça ou advogando em favor dos homens aqui na terra. Mas, somente Cristo tem acesso ao Pai, diz a Bíblia. “Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus;” (Hebreus 9:24). Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. (1João 2:1). 
          Portanto, todos que desejam servir a Deus em espírito e em verdade precisam saber que: não existe, em toda a terra, preste atenção! Diante de Deus, não existe em toda terra, senhora padroeira, não existe medianeira. Deus não aceita essa mentira idólatra que os religiosos idólatras inventaram para afastar o homem da verdadeira adoração devida somente a Ele. 
          O Brasil verdadeiramente cristão não tem “Senhora". Tem o Senhor. Porque há um só Deus e um só Mediador, digno de ser adorado. É Bíblia que diz: “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem”. (1 Timóteo 2:5). “Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele. (1Coríntios 8:6).
        “Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo ao qual escolheu para sua herança". (Salmos 33:12). Saiba, pois, que Maria não é a arca da aliança. Não será Maria que estará à porta do céu para dar as boas-vindas aos que lá chegarem. A Bíblia não ensina tal mentira. Não foi Maria pregada numa cruz; ela não derramou o seu sangue para nos salvar. Maria apenas foi agraciada para ser a mãe do Filho de Deus e nós a respeitamos e a amamos por isso, porém, não a adoramos.  É o Senhor Jesus, que deve ser adorado. Foi Jesus quem derramou o seu sangue na cruz; foi Ele quem morreu por nós e ao terceiro dia ressuscitou. Hoje, pela sua graça, Ele é o nosso Salvador e está assentado a destra do Pai, intercedendo por nós, mas naquele dia, Ele será o justo Juiz, que dirá: “Vinde benditos de meu Pai, possuir por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” e Maria, também, juntamente com todos que se arrependeram dos seus pecados e os confessaram a Jesus e não aos seus líderes religiosos, estarão lá, à direita do trono, recebendo a saudação de Jesus: Sejam bem-vindos, amados de meu Pai! Também o justo Juiz dirá aos que estiverem à esquerda: “Apartai-vos de mim, malditos para o fogo eterno, porque não vos conheço”. E, sabe quem serão essas pessoas que vão ouvir tão terrível, assustadora e dolorosa sentença? Líderes religiosos mentirosos que enganam as pessoas e não ensinam as verdades da Bíblia na sua essência; homens que, embora ministrem em nome de Deus, distorcem os ensinamentos das palavras do Senhor Jesus; religiosos que fazem da fé uma fonte de lucro; que amam mais a criatura do que o Criador, preferem seguir os enganos dos seus líderes e ignoram a verdade de Deus; religiosos que rejeitam a verdade e seguem a mentira. A verdade exige renúncia, negação de si mesmo, e a responsabilidade de seguir a Jesus levando cada dia a sua cruz e fazendo a vontade do Pai.
        Para concluir, muitos acham que vão poder entrar no céu vivendo na mentira, na vaidade, na falta de compromisso com a Palavra de Deus. Jesus mesmo disse: Muitos me dirão “naquele dia”: Senhor, Senhor! Mas, que dia? O dia em que grandes e pequenos, crentes e ateus, ricos e pobres, brancos e de cor, enfim, o dia em que todos os homens terão que comparecer diante do justo e reto Juiz para prestar-lhe conta de seus atos. Uns vão estar à sua direita e outros à sua esquerda; hoje, enquanto mantemos em nossos pulmões o sopro da vida temos liberdade para seguir a Deus, ou seguir mamon; adorar a Deus fielmente da forma como Jesus disse que o Pai deseja ser adorado, ou dividir a sua glória com imagens; Mas, naquele dia, essa liberdade acaba. “Naquele dia atentará o homem para o seu Criador, e os seus olhos olharão para o Santo de Israel”. (Isaías 17:7).
         Portanto, querendo ou não; crendo ou não; aceitando ou não; “Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, e toda a língua confessará a Deus”. (Romanos 14:11). Jesus disse: “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade”. (Mateus 7:22,23). Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos; (Mateus 25:41).
     “Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm; Estando cheios de toda a iniquidade, fornicação, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; Os quais, conhecendo o juízo de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem”. (Romanos 1:21-32).
         “E a arrogância do homem será humilhada, e a sua altivez se abaterá, e só o Senhor será exaltado naquele dia. E todos os ídolos desaparecerão totalmente. Naquele dia o homem lançará às toupeiras e aos morcegos os seus ídolos de prata, e os seus ídolos de ouro, que fizeram para diante deles se prostrarem. E entrarão nas fendas das rochas, e nas cavernas das penhas, por causa do terror do Senhor, e da glória da sua majestade, quando ele se levantar para abalar terrivelmente a terra”. (Isaías 2:12-21)

       Jesus está voltando! E, todo o olho o verá. De que lado você vai estar?
      “E por que me chamais, Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo?”
(Lucas 6:46).


       "Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito do erro”. (1João 4:6).

terça-feira, 24 de outubro de 2017

"Que pregues a Palavra, instes a Tempo e fora de Tempo."



         Trabalhei em uma empresa de Radiocomunicação que comandava várias estações de rádio em diversos estados e cidades dos EUA. Eu trabalhava em duas Rádios, no setor de Marketing, gerente de vendas e responsável pelo recolhimento dos pagamentos dos programadores das mesmas e, também, apresentadora de um programa evangélico em dois horários semanais, relações pública etc, e mesmo exercendo tantas atividades, não me omitia do dever de testemunhar do amor de Deus e da salvação redentora de Cristo aos locutores que apresentavam seus programas seculares. Eu tinha um bom relacionamento com todos.    
       Se quisermos abrir a boca para falar do amor de Deus é necessário demonstrar esse amor com a nossa própria vida através de atitudes e ações em favor dos que podem perguntar-nos a razão de nossa esperança. O mundo está “de olho em nós”.
         Certa ocasião, estava conversando com dois líderes de igrejas de língua portuguesa, que também faziam programas evangélicos naquelas emissoras. Pois bem, enquanto conversávamos, o nosso diretor executivo entrou na sala em que estávamos. Ele era de descendência judaica e como a maioria, não acreditava ser Jesus, o Messias esperado dos judeus. Manchetes de Jornais, religiosos e historiadores falavam da discórdia entre Israel e palestinos, da construção do novo templo, da vinda do Messias e como o assunto estava em evidência, comecei a falar com ele sobre Jesus, o prometido de Deus ao seu povo, que veio anunciando: “Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus”.  (Marcos 1:15b).      Assim que ele entrou, eu disse: Que bom que o senhor apareceu aqui! Seja bem-vindo! E me dirigi aos pastores: vou aproveitar a presença de vocês, porque acho que o inglês de vocês é bem melhor do que o meu e posso precisar de alguma ajuda para o assunto que vou abordar com o nosso diretor. Estávamos todos falando em inglês, mas, quando eu solicitei a ajuda de ambos, indelicadamente, eles deixaram o idioma local e começaram a me censurar em português dizendo que não era o momento certo para falar de tal assunto com um judeu e que eu até poderia ofendê-lo. Imediatamente, se despediram, dizendo estar atrasados para seus compromissos eclesiásticos e familiares. Então, o diretor vendo meu constrangimento diante da reação dos colegas pastores, disse-me: Não se preocupe o seu inglês é bom e eu a entendo muito bem. Pode falar. Então, eu lhe disse que estava orando para que o Espirito Santo de Deus lhe esclarecesse a verdade e que seus olhos espirituais fossem abertos para  enxergar que, o Cristo do qual a Bíblia se refere, e que foi e continua sendo rejeitado pelos judeus, o Jesus que foi morto em uma cruz, é o Messias prometido que veio para libertar Israel, não da opressão política de sua época, mas da opressão do pecado, pois ele veio para a libertação e salvação, não somente da Nação de Israel, mas, de todas as nações do mundo. "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". (João 3:16). E, que o messias que os judeus ainda esperam, está inserido no lamento de Jesus quando disse:” Eu vim em nome de meu Pai, e não me aceitais; se outro vier em seu próprio nome, a esse aceitareis". (João 5:43). O messias que os judeus estão esperando virá em seu próprio nome e enganará a muitos e se sentará no lugar de Deus e vai querer ser adorado como Deus, mas, ele não é o Messias, Filho de Deus e sim o anticristo, o falso profeta, a antiga serpente, enganador, o qual enganará aos que rejeitaram o verdadeiro Messias e enganaria, “se possível até os escolhidos”. E, ele me disse: obrigado pela sua atenção e carinho em se preocupar assim por mim, continue orando, pois, vou examinar sobre esse assunto e se o Espírito Santo me falar, eu vou estar atento a sua voz. Confesso que fiquei surpresa com a reação dele; e, as suas sábias expressões, me comoveram. Achei que aquele judeu fosse se comportar como a maioria dos descendentes de Israel que não aceitam que os cristãos ousem falar-lhes de Jesus. 
          Mas, hoje, quando me lembro desse fato, da reação daquele respeitável bem sucedido homem de Israel, me certifico da importância da oração em favor daqueles que desejamos evangelizar. Sinto-me envergonhada da atitude daqueles pastores que, covardemente, não quiseram participar do meu interesse de falar de Jesus ao chefe daquela empresa, dizendo que não era ocasião para o fazer. Que tipo de constrangimento os impedia, eu não sei. O que sei foi que aprendi com os conselhos do Apóstolo Paulo em sua carta a 2Timóteo 4:2, dizendo que ele deveria pregar a palavra a tempo e fora de tempo. “Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina”. Aprendi que não podemos perder as oportunidades que o Senhor nos dá, deixando de falar do amor e compaixão de Deus por nós, pecadores.
        E, por falar em oportunidades perdidas, o Espírito Santo tem me falado, para discorrer sobre um tema que está me incomodando e que tem despertado a sociedade ao repúdio e revolta. E muitas vozes de líderes religiosos, católicos e evangélicos têm se levantado para expor seu protesto e indignação contra as atrocidades que estão sendo expostas em nome da arte e da cultura, as quais ferem os princípios morais, tradicionais e religiosos do povo brasileiro. O Brasil tem, sim, que se opor a esse lixo que, em nome da cultura, vem sendo despejados na sociedade brasileira. E, nós, chamados pelo Senhor Jesus como seus atalaias, precisamos abrir a nossa boca para que o Espírito Santo de Deus fale através de nós, combatendo contra as astúcias satânicas que vem com muita fúria, arquitetando seu nefasto plano para destruir a religião, a família, aos pais na criação e educação de seus filhos. Mas, o que me deixou chocada, foi a atitude de alguns políticos em relação a defesa dos símbolos religiosos... Aquele que teme o Senhor, obedece ao seu chamado, tem compromisso com a Palavra e não teme uma multidão enfurecida, jamais vai se acovardar de dizer a verdade, jamais vai defender o indefensável, jamais vai negociar sua honra por interesses próprios, sejam eles de que nível forem. “Porque também Cristo não agradou a si mesmo”, (Romanos 15:3). Mas, este tema fica para uma próxima postagem. E, como o Apóstolo Paulo, eu me dirijo aos leitores de oração: “E rogo-vos, irmãos, por nosso Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espírito, que combatais comigo nas vossas orações por mim a Deus;” (Romanos 15:30). Pois, as postagens que são publicadas neste "blogger" são regadas com lágrimas e orações. E o tema referido, o qual estou discorrendo, já me causou grandes lutas, pois, o assunto abordado meche com a “sinagoga de satanás”.
       “Guardas o que tens para que ninguém tire a tua coroa”.  

“O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos”. (Apocalipse 3:5).